Prefeitura de Tremembé e Sesc realizam evento gratuito com Cinema, Teatro, Música, Dança, Circo, Artes Visuais e Literatura

Tremembé vai receber no próximo dia 27 de abril (domingo) na Praça da Estação, das 16h às 21h o Circuito Sesc de Artes 2014. A programação é gratuita e voltada para todas as idades. Contando com 370 artistas de teatro, música, circo, dança, cinema, literatura, artes visuais e artemídia. Grupos nacionais e internacionais irão se apropriar da nossa querida Praça Geraldo Costa para promover uma suspensão no cotidiano da cidade, criar um diálogo com os munícipes e provocar os seus sentidos.

Confira abaixo a programação completa do  Circuito Sesc de Artes 2014 em Tremembé.

CINEMA

Cine Olho (SP) – Intervenção cinematográfica que remete às primeiras exibições do cinema mudo a partir de trechos de filmes realizados entre 1896 a 1930. A instalação traz três caixas com um pequeno furo por onde o público pode observar cenas inusitadas deste cinema de atrações como: Os Primeiros Beijos; os Primeiros Monstros e os Primeiros Efeitos Especiais.

Concepção: Sesc SP – Gerência de Ação Cultural (Cinema) / Direção de conteúdo: Angélica Valente / Montagem: Mariana Barioni / Trilha original: Fernando Chankas / Produção: Farinha Produções / Design: Estúdio Kiwi / Cenografia: Valter Mendes e Dani Abreu.

FOTO DIVULGAÇÃO CINEOLHO King-Kong-1933

LITERATURA

Retrato Poético

Cia. Patética (SP) – Um bonequinho caracterizado como um pintor à moda antiga aborda as pessoas e se oferece para fazer um retrato. Mas não se trata de um desenho e sim uma poesia, um retrato poético.

Espiando a pessoa retratada e pincelando de acordo com o seu talento, o bonequinho termina sua obra e a pessoa retratada ganha o poema.

O grupo visa um resgate da pureza perdida, um olhar diferente, um sorriso espontâneo. São as expressões que mostram a capacidade da arte de despertar o que há de mais profundo e belo em cada um.

Com: Fábio Parpinelli, Liz Moura e Neto Medeiros.

60 min.

Retrato Poético (Liz Moura) Retrato Poético (Mauro Lucas)

ARTES VISUAIS

Volante

Cleiri Cardoso (SP) – O projeto Volante é uma iniciativa de difusão de trabalhos de artes visuais em meio impresso. A artista Cleiri Cardoso e sua equipe estruturam uma pequena plataforma de trabalho para produção de volantes – pequenas obras ou trabalhos produzidos instantaneamente.

Com o uso de carimbos em EVA e MDF, de propostas de desenhos e textos pré-prontos, e contando com a liberdade e criatividade dos participantes, serão criados novos volantes, para que sejam reproduzidos em meio impresso, utilizando o mimeógrafo – instrumento que faz cópias de papel escrito, utilizando estêncil e álcool.

Os participantes poderão levar suas obras para casa, e as reproduções serão distribuídas para o público passante nas praças.

Coordenação e intervenção: Cleiri Cardoso, Marcelo Heleno e Paula Ordonhes.

Projeto Volante por Cleiri Cardoso (2) Projeto Volante por Cleiri Cardoso

TEATRO

Horácio

Ágora Teatro (SP) – A cidade de Roma está em guerra contra Alba. Ao mesmo tempo, Roma e Alba estão sendo ameaçadas pelos etruscos. Para não enfraquecer os exércitos contra o inimigo em comum, os chefes decidem que um Horácio lutará por Roma contra um Curiácio que lutará por Alba.

A irmã do Horácio escolhido era noiva do Curiácio. Mas mesmo assim os dois resolvem lutar.

A peça busca a beleza no essencial das palavras do texto e nos gestos do ator que procura ativar a imaginação e o pensamento da plateia, colocando-a diante de questões éticas fundamentais.

Um ator reduzido à menor grandeza, que concretiza em cena a dúvida e o espanto dos romanos ante as atitudes de seu mais nobre guerreiro.

Autor: Heiner Muller / Tradução: Ingrid Dourmien Koudela / Adaptação, concepção, direção e interpretação: Celso Frateschi

40 min.

HORACIO foto 2 caio lamas HORACIO foto 4 caio lamas

CIRCO

Zarak Show

Circo Dux (RJ) – O espetáculo é uma homenagem à tradição circense, ressaltando a importância do trabalho do artista. Com números de mágica, faquirismo e malabares, apresenta uma comédia rasgada e criativa que emociona ao revelar a importância da arte, da perseverança e do amor na trajetória dos seus personagens.

Os atores circenses Lucas Moreira e Fabrício Dorneles dão vida a Darius Kidrick e Ygor, dois irmãos gêmeos idênticos e siameses que recebem uma importante missão: realizar a turnê mundial do Zarak Show.

Texto: Larissa Câmara / Direção: Marcio Libar / Direção de arte: Raquel Theo / Com: Lucas Moreira e Fabrício Dorneles

50 min.

Zarak Show _ Divulgação (2) Zarak Show _ Divulgação

 MÚSICA

Ilú Obá De Min (SP) – O bloco afro Ilú Obá De Min realiza um trabalho que busca a inserção de mulheres, crianças e adolescentes, através da arte, nos aspectos que compreendem a cultura negra e o estudo das influências africanas na cultura brasileira. O objetivo é resgatar a memória musical, corporal e

artística existente no candomblé, no jongo, no maracatu, na ciranda, entre outras expressões genuínas da cultura popular.
No show, o bloco apresenta o espetáculo musical Nega Duda e o Samba de Roda do Recôncavo Baiano Patrimônio Imaterial da Humanidade.
Direção Musical: Beth Beli / Percussionistas: Letícia Cruz, Baby Amorim, Wanda Martins, Tati Mohr, Sossô Parma, Mazé Cintra, Ana Célia Martins, Roberta Viana, Lenita Sena, Cintia Ferreira e Cris Blue / Voz: Tamara David e Nega Duda / Dançarinas: Chris Gomes, Rubia Braga e

Andréia Alves. – 70 min.

Ilú Obá de Min por Alecio Cezar Ilú Obá de Min por Chaia Dechen

DANÇA

Mono-blocos – Vanilton Lakka e Artistas (MG), Dança contemporânea, teatro, jazz, artes visuais e danças urbanas se misturam nesta intervenção que invade a praça das cidades, transformando dançarinos em blocos que se movimentam e interagem com a arquitetura e o público passante.
Entre os movimentos propostos pelo grupo, estão Corpo jogos blocos, trabalho que se organiza a partir da lógica de jogos, causando uma relação de instabilidade na cena; Corpo técnica ambiente, em que a cidade e a biografia interagem; Corpo público código, que convida o público a estabelecer percepções distintas; e Corpo cidade expandida, um código QR que pode ser capturado por meio de celulares para explorar e descobrir mais sobre a cidade.
Direção/Coreografia: Vanilton Lakka / Com: Alex Luis de Ramos, Cláudio Henrique Euripedes de Oliveira, Lidiane da Silva Jacinto, Lucas Borges Oliveira, Lucas Dilan Martins Corrêa, Maria Júlia Kaiser Mesquita Campos Guimarães, Mariane Araujo Vieira, Nádia Yoshi Ribeiro Higa, Raphaela Barboza Lima da Silva, Samuel Antônio Santana, Vanilton Lakka, Vinícius Monteiro Lopes e Marcelo Silvio Santos.

55 min.

Mono-blocos Vanilton lakka e Artistas Colaboradores - 4 - cr+®ditos Douglas Luz (1800x1200) Mono-blocos Vanilton lakka e Artistas Colaboradores créditos Fernando Prado 11

 

Notícias Relacionadas

Mais recentes